Acessos ao Blog

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Ictio Marinho (Cryptocaryon irritans)

Ictio Marinho (Cryptocaryon irritans)

Um dos demônios do aquarista marinho. Muitos artigos já foram escritos sobre o assunto. Muitos são longos ou nunca completos. Hoje em dia sabe-se muito sobre esta doença em peixes marinhos, pelo $ $ $ alocado em pesquisas pelos piscicultores etc... Descoberto pela primeira vez em 1800 mais entendido em 1900 e finalmente tudo o que precisamos saber sobre este parasita nos anos 2000.

Não quero escrever um tópico gigante sobre Ictio, mas sim tentar compartilhar algumas verdades sobre o mesmo. O aquarista "vê alguma coisa" e depois em "suposições" sobre o que viu, começa uma rodada de outras suposições. É mais fácil ouvir uma afirmação absoluta e curta, o certo seria pesquisar buscar informaçôes, ler e compreender os resultados de décadas de estudos e experimentos.
Acaba sendo mais fácil tentar atalhos com esta doença acreditando que o parasita vai morrer de coisas que ele simplesmente não irá.

Se você acha que o seu peixe pode estar infectado, esta é a mensagem que você deve ler e seguir:

É hora de separar os boatos dos fatos e as observações subjetivas (que começam os boatos) dos estudos científicos reais. 


Vida e o que se vê:

1, o parasita tem várias "fases" em seu ciclo de vida. Cistos no aquário (geralmente no substrato, decoração, vidros, equipamentos ou rochas), parasitas na forma natante livre que posteriomente infecta os peixes fazendo com que  crescam nódulos brancos visível que é a fase de repodução , normalmente soltando-se do peixe formando cistos  iniciando o ciclo novamente.

2. Só o um super humano pode ver este parasita a olho nu, ele somente será visto quando ele estiver se reproduzindo no peixe em forma do famoso nódulo branco. (A mancha branca é do tamanho de um grão de sal ou açúcar).

3. Parasitas que acabram de infectar os peixes não são visíveis até o n°2.

4. O ciclo pode ser completado em menos de 7 dias, mas normalmente em 24 dias, mas pode chegar a até 72 dias. Geralmente demora 60 dias, comprovada em 99,9% das observações em pesquisas.

5.Atenção Não é a mesma doença de água doce, Ictio doce (Ichthyophthirius Multifilis), mas tem o mesmo nome. Isto leva aquaristas de água doce pensar coisas erradas sobre o ictio marinho, gerando os mitos e boatos.

6.Ictio marinho não é muito sensível a variações de temperatura.O aumento da temperatura não diminuirá significativamente o tempo de seu ciclo de vida, sendo verdadeiro no caso de Ictio de água doce (de onde vem o boato de elevar a temperatura).

7. O ictio marinho pode viver e se reproduzir em temperaturas entre 10° e 32° Assim temperaturas que matariam o íctio matariam praticamente tudo do seu áquario.

8. Pontos aparecem e depois desaparecem conforme o Ictio passa pelo seu ciclo. Lembre-se do n°2 Este "desaparecimento" é o que leva os aquaristas desinformados acreditam que os peixes estão curados. Esta é a pior coisa que um aquarista pode acreditar.

9. O Parasita gosta de infectar as guelras do peixe, o tecido é onde tem mais água passando por ele aumentando a chance do parasita infectar, esta é uma das razões pela respiração rápida (superior a 80-90 respirações por minuto).

10. O parasita escava a pele do peixe instalando-se abaixo da camada de muco por isso peixes limpadores / camarão não pode combatê-lo. Esta é a segunda coisa mais errada em pensar: 

Vou pegar alguns peixes limpadores ou camarão para remover / comer o parasita.
NAO ADIANTA.

11. O parasita é transmitido em água (etapas de natação livre e cisto) ou pela introdução de um peixe infectado inclusive os que parecem saudáveis. Isto significa que a água ou o peixe de outro aquário pode transmitir a doença.

12. O parasita pode infectar  vários peixes, incluindo as enguias, tubarões e raias, embora muitas espécies de peixes, como Mandarins, têm uma boa resistência ao Ictio, eles ainda podem ser infectados e podem abrigar ou transportar o parasita.
Invertebrados, moluscos, caranguejos, corais, plantas, etc, não são afetados/ infectados pelo Ictio, mas o Ictio pode estar na água, conchas, etc...

13. Não existe pior coisa que o estágio dormente do ítcio. O parasita não vê a hora de achar o próximo hospedeiro. Ele tem que passar pelo seu ciclo.

14. Descoberta interessante: Se nenhum novo foco de ictio é introduzido em um aquário já infectado, o ictio que já está lá terá ciclos por cerca de 10 a 11 meses, passando disso ele já se torna menos infeccioso. Um tanque pode se livrar nessas condições de uma infestação de ictio se nunca mais for exposto a novos parasitas por mais de 11 meses.


Tratamentos:

1. Hiposalinidade - Usando um refratômetro, mantenha salinidade entre 11ppt (1008) e 12ppt (1009) por até 4 semanas depois do último ponto visto. Aumente a salinidade devagar observando os peixes durante mais 4 semanas. O difícil é controlar o pH e a qualidade da água durante o tratamento mas é o tratamento menos estressante para o peixe.

2. Tratamento com cobre - Siga as recomendações da embalagem, se torna eficaz entre 2 a 4 semanas de tratamento. Após o tratamento (em auqário hospital), remover todo o cobre com tpas e carvão e observar os peixes por mais 4 semanas. O cobre é um veneno para os peixes e cria stress. O peixe pode parar de comer. 

3. Método de transferência - Peixes é movido de um tanque para outro para separar o peixe dos cistos que cairam e os estágios de natação livre do parasita. Dois tanques hospital são necessários para realizar esse tratamento. O peixe fica muito estressado por ter que ficar mudando entre estes tanques hospitalares.

4. Somente os 3 tratamentos acima são comprovados cientificamente resultando em cura beirando os 100%. Outros produtos químicos vão matar o parasita porém apenas em condições especiais (não sendo bom para os peixes). Outros produtos químicos iram matar somente alguns dos organismos, deixando outros escaparem da morte para continuar se multiplicando e infectando. Existe certos medicamentos (humano) de prescrição que funcionará também, mas eles não estão disponíveis para o público em geral e realmente não devem ser utilizados quando existe 3 metodos tão eficazes.

5. Nenhum dos tratamentos pode ser feito em Reef Deve ser feito em um tanque hospital ou tanque de quarentena. A hyposalinidade e o tratamento de cobre matariam invertebrados, rocha viva etc... Substratos e carbonatos interferem no tratamento do cobre use somente decorações artificiais.

6. Não existe remédio reef safe que acabam com os parasitas.

7. Camarões wrasser etc... não come os parasitas.

8. Banhos de água doce pode matar alguns dos parasitas e aliviar o peixe mas nem todos eles, pois muitos dos parasitas estão protegidos pela pele do peixe e a camada mucosa. estes banho podem matar o peixe caso esteja muito debilitado.

9. NUNCA combinar um tratamento de cobre com um tratamento hyposalinidade.

10.Com o aquário que ficou sem peixe para o tratamento, mantenha a rotina normal de manutenção, alimentando os corais equipe de limpeza limpando o skimmer etc.. mas não adicione nada novo nem equipe nem coral nem rochinha nova que seu amigo te arrumo, nada.
Use somente água nova com sal de qualidade não use água de outro aquário e mantenha a iluminação normal, depois de 8 semanas seu tanque estará livre do ictio marinho.

Defesa e Imunidade:

1. A mucosa pode fornecer alguma proteção contra o parasita é onde alguma imunidade do peixe se desenvolve.

2. Quando a temperatura da água diminui a mucosa é frequentemente reduzida ou perdida em peixes marinhos, por isso que torna-se visível os pontos no peixe após uma queda brusca de temperatura.
Isso significa, no entanto, que a doença estava presente no aquário, contaminando os peixes sem o aquarista ter tido conhecimento.

3. Não importa quão boa é seja sua defesa, qualquer peixe pode ser infectado, um peixe saudável ou debilitado pode ser igualmente infectado.
O que acontece é que o aquarista vê um ou mais peixes com a doença e acredita que porque não vê nos outros eles estão livres da doença. Todos os peixes em um tanque infectado necessitam de tratamento.

4. O peixe fraco, estressado, ou doente vai morrer antes do peixe saudável, mas não quer dizer que ele é mais ou menos suscetível de se infectar.

5. Um peixe que sobrevive a um ataque pode desenvolver proteínas no revestimento mucoso que ajudarão a afastar o parasita (é um tipo de resposta imunológica). Um peixe com certa imunidade normalmente não demonstra estar infectado. Infelizmente. . . (Ver 6. Abaixo). . .

6. Um peixe com certa imunidade não é imune, se a imunidade enfraquecer, os peixes serão atacados.

Observações subjetivas e Mitos:

1. Algumas espécies de tangs parecem ser mais suscetíveis. Verdade. Os revestimentos da mucosa deles são reduzidas em espessura e composição. Eles nadam até 25 quilômetros por dia no oceano em busca de alimento, então talvez a Mãe Natureza lhes deu isto como um meio de 'fuga'.

2. Ele vai embora por conta própria. Mentira. Visível apenas em um estágio. Se ele já foi visto, Está lá apenas não é visível ao aquarista. Salvo no caso de mais de 11 meses sem introduzir parasita novo.

3. Ele vai embora com um remédio 'reef-safe ". Mentira. O aquarista pensa que está tudo bem quando não está. O que normalmente acontece é que parte dos parasitas são mortos mas outros sobrvivem invisiveis. O parasita ainda está no aquário, possivelmente contaminando as guelras dos outros peixes, onde não pode ser visto.

4. Ele foi embora, quando um peixe novo é adicionado, está lá novamente. Não é totalmente verdade. Veja n°3. Ele não tinha ido embora ou o novo peixe realmente estava infectado . Um recém chegado pode ser o gatilho do stress que desencadeia a redução da imunidade, assim, permitindo que o parasita "boom" e a infecção é agora novamente visível no aquário.

5. O peixe viveu o primeiro surto, em seguida, morreu durante o segundo ou subsequente surto. Pode ser verdade. O peixe tinha uma resistência ou imunidade que perdeu.

6. Ele foi diagnosticado com Ictio, depois nunca mais apareceu.

Não foi Ictio ou o peixe rapidamente desenvolveu uma imunidade ou ainda está infectado nas guerlas.

7. O ictio pode aparecer com apenas um ponto no corpo de vez em quando. Verdade.

8. Aquarios sempre tem Ictio. Mentira. Ictio pode ser mantido fora de um aquario. Só quarentenar todos os peixes antes de introduzir no reef ou aquário.

9. Peixe sempre tem ictio. Mentira. Na natureza, estudos mostram que até 30% dos peixes estão infectados, mas o peixe selvagem sobrevive a infecções pequenas, pois tem como fugir, já no aquário é mais difícil.

10. Não tem como salvar peixes do Ictio. Mentira. Todos os peixes marinhos podem ser curados e se livrar de qualquer infecção por íctio.

11. Apenas alimentar os peixes bem e / ou alimentá-lo com alho e ele vai ficar bem.MENTIRA.
Nutrição, alimentos, vitaminas, etc não cura um peixe infectado. Um peixe infectado está doente e está sendo torturado pela coceira e desconforto. Ele pode sobreviver e obter resistência ou imunidade, mas enquanto você está sentado confortavelmente em sua casa, o peixe está se estressado sendo torturado por ter que lidar com um parasita. Não deixe isso acontecer com seus peixes.

12. Se o ictio nem sempre pode ser detectado, por que se preocupar com um processo de quarentena?
Em uma quarentena o parasita terá que completar seu ciclo tornando-se visível na sua fase reprodutória.
Em outras palavras a quarentena instiga o boom do parasita.


 13. Todos os nódulos brancos vão se soltar do peixe e passar para a fase de cisto. Falso. Foi descoberto que em ocasiões muito raras (por que não sabemos) o nódulo branco pode conter cistos se rompendo ainda sobre o peixe.

15. UV mata o Ictio. Parcialmente verdade, somente mata o parasita que passar através dele mas infelizmente nem todos passarão.

16. Só o fato de ter pontos brancos quer dizer ictio?. Falso. Provavelmente, uma das maiores causas dos boatos e mitos, pode ser mais uma de algumas dezenas de outros parasitas e condições do peixe, o diagnóstico errado é muitas vezes a causa de alegações de que o ictio foi curado daquela forma ou outra, quando na verdade nem ictio os peixes tinham.

17. Quarenteno meus peixes só duas semenas e vendo que está tudo ok coloco no aquário. Não precisava nem da quarentena pois como visto anteriormente o cilco demora muito mais que isso no mínimo 6 semanas.

Por favor, não espalhe boatos!


Retirado adaptado de  artigos sobre Ictio marinho,além de expriencias próprias espero ter ajudado alguns colegas.


Abs

Daniel


daniel@reeftech.com.br